A fantástica geração das mulheres que não foram feitas para casar. - Entre os Meus Dias

domingo, 22 de março de 2020

A fantástica geração das mulheres que não foram feitas para casar.

Encontrei este texto nas redes sociais há algum tempo e resolvi falar sobre ele.

"Nós não fomos criadas para sermos princesas. Não brincamos apenas com bonecas e não aprendemos, desde cedo, a cuidar de uma casa. As nossas mães nunca tiveram tempo para nos ensinar a costurar, em vez disso, mostravam-nos com exemplos práticos de como ser fortes, independentes e batalhadoras. Em vez de bonecas, livros. Em vez de panelas e cadernos, fomos criadas para sermos mulheres fortes, para enfrentar o mundo de frente. 

Não somos mulheres para casar.

Não vamos viver para limpar a casa, lavar os pratos e dedicar 100% do nosso tempo para nossos filhos, porém, seremos parceiras, ótimas companhias e as melhores pessoas para dividir uma vida e uma história. 
Não fomos criadas para esperarmos a porta do carro ser aberta ou a cadeira ser puxada, nós aprendemos que o quer que a gente queira, somos nós as únicas que têm que fazê-lo.Não sabemos pregar um botão, mas sabemos indicar uma costureira incrível e barata.
Não sabemos fazer o melhor almoço de domingo, mas dividimos a conta de um restaurante impecável. Não somos as melhores do mundo em limpar o apartamento, mas se quiseres conversar sobre o expressionismo abstrato, vamos fazer isso com o maior prazer do mundo, enquanto indicamos um bom vinho e escolhemos uma bom hotel naquele site que descobrimos ontem.

Nós não sabemos se vamos querer ter filhos um dia, mas conseguimos amar um sobrinho ou um filho de uma amiga com todas as nossas forças. Não estamos ansiosas por um anel ou por um vestido branco, mas ficamos realmente felizes com aquele presente inesperado que foi comprado por amor e sem data comemorativa. As nossas brincadeiras favorita na infância nunca foram casinhas de bonecas, mas éramos as melhores em artes e redação. Não fomos criadas para lutar contigo enquanto jogas videogame com os amigos, mas sim, para jogar tão bem quanto vocês todos juntos.

Mas por favor, não nos entendam mal. Não somos mulheres que não gostam do amor ou que não sabem amar, muito pelo contrário!Vemos o amor nas coisas mínimas. Para nós, um "cuida-te" é o equivalente a um "eu amo-te", um "já comeste?" é uma prova do quanto importamos e um "estou com saudades" faz o nosso coração bater mais forte.

Não somos mulheres criadas para casar, mas somos as melhores para dividir uma casa, uma bicicleta, uma mala e algumas linhas a serem escritas. 
Às vezes, nós queremos casar, vestirmos-nos de branco e celebrar o amor com tanta gente que gostamos.

Mas não fomos criadas para isso.

Antes de casar, a nossa prioridade é amar.

E isso nós fazemos muito bem."


Se é um bom exemplo? Não concordo no seu todo! há coisas que todos independentemente do sexo, devemos ou devíamos saber.
Os tempos mudam e as opiniões também, mas há coisas que deviam ser ensinadas a todos.

Não pertenço no eu todo a essa geração que o texto fala, houveram coisas que me foram ensinadas e hoje eu agradeço por isso, sei costurar, fazer a minha própria alimentação, limpar uma casa, passar etc etc.

Houve coisas que eu sempre disse que não queria e que não me arrependo até hoje, mas que já fui muito criticada, como o não querer ter filhos, criticam-me, pois, como no texto eu adoro crianças e dou o amor e carinho aos filhos dos outros, mas não os quis ter, uma decisão minha, pronto.

O casamento já o fiz pela igreja, hoje não sou católica, nem de outra religião, (por motivos meus, deixei de acreditar), também sou criticada por isso. 

Divorciei-me, hoje vivo com outra pessoa e o casamento não está nos meus planos.

A geração de hoje é algo diferente da minha, mas lá está, há coisas que nem o tempo ou as mentalidades deviam mudar e os ensinamentos que me deram deviam ser dados hoje também. 

Mas já não se ensina nada a ninguém, os pais querem que os filhos estudem, dão-lhes todas as condições para isso e o resto esquece.

As mulheres foram as que ao longo dos tempos mais evoluíram, hoje não são mais as que estão em casa à espera do marido, a cuidar dos filhos, não, hoje a mulher tem parte muito ativa na sociedade e se elas não querem casar ou ter filhos, deixem-nas é um desejo que lhes assiste.  


Se eu acho isso fantástico? SIM!

                                                  

11 comentários:

  1. A geração das meninas prendadas, que eram puras, já lá vai há muitos anos.
    E hoje falar disso até é ridículo.
    Boa semana

    ResponderEliminar
  2. Belo post! Acho que exageros da primeira parte, criar como princesas,etc...não cabe de jeito algum. Mas temos que saber nos virar em todos os setores,pra não dependermos até mesmo dos "concertinhos básicos" que se esperarmos,morremos,rs... E por aí vai! Gostei! beijos, chica e te cuida bem EM CASA!!

    ResponderEliminar
  3. Cada um de nós deve tentar ser feliz, à nossa maneira....sem nos preocupar-mos com o que os outros possam pensar...

    Isabel Sá  
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  4. Um texto bem pertinente que convida à reflexão!
    Faço parte das mulheres que nunca se sentiu descriminada... felizmente sou independente e mulher respeitada que se dá a esse respeito!
    Bj Mena

    ResponderEliminar
  5. Digo com franqueza que não ensinei grande coisa das lides domésticas às minhas filhas.
    Mas saíram de casa e tiveram que se virar.
    Ainda hoje, infelizmente, persiste esse estigma das mulheres se casarem e serem mães.
    Hoje para o jantar acho que vou fazer expressionismo abstracto em cama de espinafres.
    Beijinho Mena,cuida-te.

    ResponderEliminar
  6. É tão bom ter-te de volta!
    Quanto ao texto, identifico-me com uma grande parte!

    Bjxxx
    Ontem é só Memória | Facebook | Instagram | Youtube

    ResponderEliminar
  7. «Os tempos mudam e as opiniões também, mas há coisas que deviam ser ensinadas a todos», não podia estar mais de acordo. Assim como acho que cada pessoa deve ser livre de tomar as suas decisões, desde que isso não prejudique terceiros. Portanto, se nem todas as mulheres querem casar e/ou ter filhos, é tão válido como quererem.

    Excelente reflexão, minha querida

    ResponderEliminar
  8. Bem-vinda mulher!!
    Eu não fui feita para casar, sou desse club mas sei fazer tudo em casa, também percebo de costura, só não sei costurar à máquina, mas faço todos os pontos de mão. Também nunca tive o apelo da maternidade!!
    xoxo

    marisasclosetblog.com

    ResponderEliminar
  9. Acho que o texto inicial apresenta o casamento como algo negativo (percebo a ideia que da geração antiga: uma mulher preparava-se para o casamento como se fosse a etapa mais importante da sua vida e só assim seria realizada). Hoje em dia o casamento não é algo negativo nem positivo. Depende de pessoa para pessoa, mas penso ser algo natural mas não essencial. Ter uma licenciatura/mestrado, hoje em dia está para o casamento no passado.
    Nas tarefas domésticas, hoje nas gerações mais novas já há muita partilha e há cada vez mais homens a cozinhar.
    Apesar dos avanços da mentalidade, o caminho a percorrer é longo.

    ResponderEliminar
  10. Olha quem apareceu!
    Muam-se os tempos, mudam-se as vontades
    Eu só tive filhos homens mas não é por isso que ensinei ou deixei de ensinar certas coisas. Se fossem raparigas seria igual, os ojetivos de hoje s~so diferentes, tentamos dar-lhes ferramentas para viverem o melhor possível como estudos ou uma profissão.
    Beijinhos

    ResponderEliminar